Tábuas das marés

As marés para a pesca nos rios

MarésMarésAs marés nos rios


 As marés nos rios

A maré que está diante de uma costa se propaga para cima nos rios com uma periodicidade idêntica, mas a dissipação da energia reduz aos poucos a amplitude e a maré perde intensidade, é o limite da parte marítima do rio (este limite é superior a 1000 km para o Amazonas).

Macaréu

No estuário e ainda mais no rio, a preia-mar é mais breve que a baixa-mar; inclusive pode ocorrer que a subida seja quase instantânea, este é o momento do macaréu, quebra-mar que fecha todo o leito do rio e que sobe rapidamente.


No Brasil, o macaréu do rio Amazonas é conhecido como Pororoca. Provém da língua Tupi-guarani e significa "estrondar". Ocorre nas marés vivas e formam-se ondas de até quatro metros de altura que surfistas do mundo inteiro aproveitam para subir o rio fazendo surf dezenas de quilômetros. Apesar dos efeitos devastadores nas ribeiras do rio, é um fenômeno muito apreciado pelos pescadores, já que reúne uma grande quantidade de espécies tanto fluviais como marinhas para se alimentarem e reproduzirem, de modo que a pesca neste momento é muito emocionante.